A pianista- Capitulo 2

Resultado de imagen de soldados saludando

POV’S MICAEL
Flahback ON
— Abra a porta sua imprestável! — Mamãe me escondeu trás o sofá e me indicou com o dedo que ficasse calado— Eu irei acabar com sua raça se você não abrir a porta Rosana!


— Mamãe não abre a porta, por favor — Eu implorei. Porém mamãe voltou a fazer o sinal para que eu ficasse quieto, colocou sua mão sobre minha cabeça e a abaixou pedindo para que eu ficasse atrás do sofá — Mamãe, por favor fica aqui comigo.
— Rosana Borges eu irei contar até três. Um — Os passos de mamãe se afastaram— Dois, Rosana —Ouvi o som da porta ser destrancada — Até que em fim, achei que ia ficar aqui até você tirar seu amante da minha casa.
— Não tenho nenhum amante, Ricardo
Ouvi um grito e tampei os ouvidos. Quando levantei o olhar vi como papai tinha o cabelo de mamãe preso na mão dele.
— Vou te ensinar a me respeitar sua vagabunda. — Papai jogou mamãe no chão e tirou o cinto da calça
—NÃO!! — Eu gritei me levantando. Olhei para mamãe que negava com a cabeça.
— Olha quem está aqui meu amor — Papai disse enquanto olhava pra mamãe
— Micael corre meu filho— Mamãe disse chorando. Papai deu um tapa no rosto dela.
— Achou que eu não ia encontrar ele, Rosana? — Mamãe negava com a cabeça— Mas é claro que sim, você pensava que eu não ia encontrar o seu querido filhinho.— Papai olhou para mim — Toda ação tem sua reação não se esqueça nunca disso.
Então papai levantou o braço e deu a primeira cintada em mamãe.

Flashback OFF

Utah, Estados Unidos, 3 de Novembro de 2014

Acordo suando e volto a fechar os olhos, de novo esse maldito sonho. Olho ao meu redor. O relógio marca 4:30. Levanto e vou até o banheiro, faço minhas higienes matinais e tomo um banho. Visto o meu uniforme de general das Forças Aéreas e desço as escadas para tomar café. Após tomar café vou até meu escritório olhar os meus compromissos para hoje e enviar alguns e-mails.
Quando são 5:20 vou até a garagem e pego meu carro indo até a base militar Hill Air Force Base que está em Ogden. Eu moro em Marriott-Slaterville uma pequena cidade perto de Ogden. Escolhi Marriott- Slaterville para morar porque é um lugar muito tranquilo e eu não sou incomodado.
Chego na base 5:50 como todos os dias. Estaciono o carro e entro na base militar. Vou pelo corredor 3 até minha sala quando uma voz me chama.
— Bom dia General Borges. Meu nome é Dylan Clifford senhor, é um prazer conhece-lo— O soldado Clifford diz fazendo a salutação militar corretamente.
— Bom dia soldado Clifford. — Aceno com a cabeça e continuo caminhando
— O senhor chegou cedo hoje, senhor Borges — Ele diz me seguindo.
— Chego todos os dias no mesmo horário, Clifford.
— E-eu n-não sa-abia — Odeio quando gaguejam. Paro no meio do corredor e olho para ele. Ele está com medo— Sou aviador há uma semana e...
— Mas é claro que não sabia — O cortei— Estou com pressa.— Eu disse e comecei a caminhar indo para minha sala.
— Desculpe-me senhor, eu não sabia como lhe explicar — Ele continua falando e para minha surpresa ele volta a me seguir.
Entro na minha sala e sento na minha cadeira girátoria de couro.
— Queria me apresentar— Ele está diante da minha porta do lado de fora.— Posso entrar?
— Sim. — Ele assente em forma de agradecimento.
— Eu queria me apresentar e lhe desejar as boas vindas, General. — Arqueio uma sobrancelha em forma de pergunta. — Eu fiquei sabendo que o senhor chegou dias atrás de uma missão no Afganistão.
— Como sabe disso? — Digo olhando para ele.
— Não posso lhe contar. Entre os soldados há lealdade, General.
— Muito bem.
Peguei o telefone e disquei o número de Christina, minha secretária.
— Senhorita Milton, quero que ligue para o Coronel Hundson e diga a ele que solicito a presença de todos os aviadores na pista A15 agora.
— Sim senhor Borges.
Encerro a ligação e vejo o terror na face do soldado Clifford.
— O que o senhor vai fazer? — Ele disse susurrando
—Nunca se esqueça dessas palavras Dylan: Toda ação tem sua reação.

Manchester, Reino Unido, no mesmo dia.
POV'S SOPHIA
Chego em casa depois de ver como o táxi vai embora. Abro a porta de casa e vejo que não há ninguém.
— Papai?
Ninguém responde. Vou até o escritório de papai e bato na porta.
— Entre.— Abro a porta e vejo meu pai concentrado, com os óculos de grau e um cigarro na mão — Oi querida, como foi o encontro com Noah?
— Foi bem papai. — Me aproximo dele e dou um beijo em sua bochecha.
— Ele se comportou direito não é? Não tentou fazer nada com você.
— Não pai, fique tranquilo — Ele sorri e eu também.
— Certo, então.
— Onde está a mamãe?
— Está na cozinha com Rute, revisando o cardápio de hoje.
— Ta bom, vou dar um beijo nela e subo para me arrumar.
— Ótimo meu bem.— Papai da um beijo em minha testa.
Vou até a porta e saio, fechando-a seguidamente. Vou até a cozinha e encontro mamãe sentada na mesa conversando com Rute.
— Oi mãe.
— Sophia minha filha, chegou cedo.— Ela se aproxima e eu abraço ela. — Como foi o seu dia? Aproveitou a tarde com Noah?
— Ah mãe, ele decidiu dar um tempo.
Mamãe se sentou em uma cadeira e eu na outra frente a ela.Rute se levanta e sai da cozinha de fininho.
— Ele terminou com você?
— Sim. Bom na verdade não. Eu não sei, mãe. Ele disse que quer passar essa semana pensando.
— Em que?
— Na minha viagem para os Estados Unidos.
— Seu pai sabe disso?
— Não! Imagina se eu conto para ele? Ele não gosta do nosso relacionamento, se eu contar ele fica maluco.
— Verdade meu amor. Bom, agora não se preocupe, vá e tome um banho relaxante e se arrume para receber a familia Wells.
— Ta bom.
— Amo você filha
— Amo você também mamãe.
Dou um beijo na bochecha dela e saio da cozinha indo para o meu quarto. Hoje foi um dia longo.

Utah, Estados Unidos, minutos antes
POV'S MICAEL

Todos os soldados estão na minha frente, do outro lado o soldado Clifford olha atentamente ao lado do Coronel Hundson. Começo a caminhar diante dos soldados.
— Chegou aos meus ouvidos, que um de vocês comentou que eu estava esses dias atrás em uma missão em Afganistão. Certo?— Todos os soldados ficaram tensos. Parei de caminhar.— Eu fiz uma pergunta, me respondam! — General Borges, desculpe-me pela...— O soldado Clifford tenta se explicar. Virei o meu rosto e olhei para ele.
— Não quero suas explicações soldado Clifford. — Volto a caminhar— Escutem aqui menininhas, espero que essa situação não volte a se repetir. Minha vida não lhe diz respeito a nenhum de vocês. Vocês não estão em um videogame, estão aqui para defender as forças aéreas dos Estados Unidos. Isto é o exército, não a casa da vizinha para ficarem fofocando. Estamos entendidos?
— Sim General. — Todos falam ao uníssono.
— Dessa vez, soldado Clifford, deixarei passar o que aconteceu.— Digo olhando para ele.— Mas lembre-se das minhas palavras na minha sala. Qual é a primeira regra dessa base militar, soldados?
— Toda ação tem sua reação. — Falam ao uníssono.
— Retirem-se. — Ordenei.
Os soldados se retiram fazendo a salutação e o Coronel Hundson vem até onde estou.
— Parabéns Micael— Ele disse dando um pequeno tapa em meu braço.— Eles ficaram aterrorizados.
— Para você é General Borges,Hundson. Não se esqueça que sou seu superior.— Começo a caminhar saindo da pista A15 mas antes me viro e chamo o Coronel— Hundson— Ele me olha— Se você voltar a dar um tapa em meu braço, por menor que seja, você sim ficará aterrorizado.
-------------------------------
Aqui está meus amores, o segundo capitulo da web! O que estão achando? Micael nessa web parece bem mais um vilão né? Sophia irá conseguir domar a fera? Estão gostando? Deixem nos comentários suas opiniões! Beijos <3

8 comentários:

  1. Eita que esse Micael é de mais de arrogante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim rsrs ele é arrogante no começo mesmo!

      Excluir
  2. Meu Deus, Micael é fantástico!!! Tá linda Vicky 😍😍

    ResponderExcluir
  3. Tô gostando muito 😍😍😍 continua

    ResponderExcluir
  4. Eita eita eita, tô muito curiosa aonde essa história vai dar 😍😍😍 Continua por favor !!!

    ResponderExcluir