Reviravolta - Capitulo 113

Um mês se passou desde que Bruna perdeu seu neném. Ela passava muito tempo na minha casa com as crianças e me mimando de uma forma que eu claramente estava adorando. Minha barriguinha, agora já bem saliente era alisada o tempo todo, tenho que admitir que quando estive gravida de Alycia, não era bem assim, uma vez que eu só tinha Larissa. 
Outra que ia me visitar de vez em quando, quando descobriu que eu estava gravida começou com mais frequência e eu estava adorando o fato da nossa amizade estar retornando o que era antigamente. 
Alycia e João se davam muito bem, ninguém me dava trabalho. 
- Soph, será que vem menina ou menino dessa vez? - Bruna falou com um sorriso no rosto. 
- Podia vir um menino! - Larissa comentou. Bruna fez cara de desgosto, as duas não estavam se dando muito bem, ciumes. 
- Ah gente, eu sinceramente não sei o que preferir. Já tenho um casal. 
- Tem, mas o joão não é seu né. - Bruna falou e eu a olhei feio. 
- É meu sim Bruna. - Larissa controlava o sorriso. 
- Ah qual foi Sophia, vai negar que é diferente? Você adotou o João já grande, não é como se tivesse trocado as fraldas dele. - Ela revirou os olhos e eu considerei. 
- Ela é tão mãe dele, quanto da Alycia. - Larissa foi um pouco ignorante. Talvez por ser adotada ou porque não pode ser mãe. 
- Adotados são diferentes, Larissa. - Bruna falou dando de ombros e eu vi Larissa claramente se irritar. 
- Chega né meninas, João é meu filho e eu quero uma menina! - Falei na esperança de acabar com a briga. 
- Sophia, eu volto outra hora. - Ela disse já se levantando. 
- Não Lary, fica aqui com a gente, tem nada pra fazer mesmo. - Fiz carinha de triste e ela sorriu.
- Tudo bem, - Suspirou - Só vou dar uma olhada em Alycia e volto. Podemos ver um filme. 
- Ok. - A abracei e vi Bruna revirando os olhos pelas costas de Larissa. Ela saiu. - Você também não é fácil né menina! - Dei bronca em Bruna.
- O que eu fiz? - Se fez de sonsa. 
- Você cutucou a pior ferida da Larissa. Alias, não sei exatamente por qual das duas ela ficou chateada. - Me sentei novamente.
- Como assim? - Agora realmente parecia confusa. 
- Larissa é adotada. - Ela fez cara de surpresa. - E pra piorar não pode ter filhos. - E sua surpresa aumentou.
- Mas ela também tirou o azar né. A culpa não é minha. - Ela deu de ombros. 
- Eu acho que vocês deveriam se dar bem, uma vez que ela é minha madrinha e você é madrinha do Micael, meu neném não pode crescer no meio de uma disputa. - Determinei e peguei meu celular, Tinha mensagem do meu marido lindo.

"Como está a minha esposa maravilhosa? Amor, estou morrendo de saudades de vocês quatro. Não vejo a hora de chegar e te dar um beijo e nas crianças. Te amo!"
"Tô bem amor, sendo mimada pelas minhas duas madrinhas. Nossas crianças brincando e eu atoa. hahaha"
"Vida boa né, vamos querer trabalhar né asdjhlsjfvns"
"Que risada é essa Micael? Bateu a cabeça no teclado?" 
"Ih, amor! É a risada da moda! shflohefslkjfn"
"kkkkk Da moda, claro. Você não deveria estar trabalhando?"
"Já cansou de falar comigo é?"
"Nunca"
"Tá um tédio aqui nesse trabalho, você podia estar aqui, pra fazermos um sexo! :)"
"Que corporativo isso Micael! hahaha' o que faria?" 
"Bom, tem a minha mesa aqui pra jogar você nela..."
"Perai, vou pegar o carro"
"kanfkhbfkwejbfknf Andas muito safada dona Sophia!"
"Culpa desse marido gostoso que tenho, vem pra casa logo, agora quero sexo!"

- SOPHIAAAA! - Bruna gritou e eu levantei os olhos.
- O que foi menina, porque ta gritando? - Perguntei assustada.
- Tava falando com você aqui a uma hora e você me ignorando, olhando pro celular e rindo.- Falou brava e eu ri. - Aposto que tava conversando putaria com Micael.
- Ué, o que tem a ver risos com putaria? - Eu ri mais ainda.
- Olhar pro celular e rir, significa treta. E para de rir que tô bolada, vocês dois são nojentos sabia? - Cruzou os braços e fez bico.
- Você tá com ciume do Micael agora? - Ri - Bruna, tô ficando com medo! - Gargalhei.

8 comentários: