A pianista - Capitulo 6


Imagen relacionada


Manchester, Reino Unido, 9 de Janiero de 2015
POV'S SOPHIA
Faz dois meses desde que eu e Noah terminamos. Ele estava na balada VIVA quando eu e o Cam nos beijamos. Ele apareceu do nada batendo palmas e gritando como um louco. Um louco com razão

Inevitável - Capitulo 120

Comecei a catar minhas roupas pra vestir, mas tive tempo de ver Micael puxando Emily e a balançando demais. Eu sabia que ela ia golfar, mas não adiantava avisar, Micael sempre fazia aquilo.
- Ela acabou de mamar, não a balança assim. - Repreendi mesmo sabendo que seria inútil.

Inevitável - Capitulo 119

- Está louca? - Foi a unica coisa que me disse.
- Não, estou falando super sério.
- Sophia, não acho que você está em posição de querer exigir alguma coisa. - Me olhou com a testa franzida.

Inevitável - Capitulo 118

- Olha, eu sei que errei, mas ele tá exagerando! - Reclamei ao telefone com minha amiga Lua.
- Sophia, se você espera que eu fique ao seu lado...
- Lua, você é minha amiga, tô te ligando pra você dizer que eu tô certa. - Disse histérica e eu podia saber que ela teria rolado os olhos no telefone.

Inevitável - Capitulo 117

- Oi. - Disse tímida enquanto entrava no quarto.
- Oi. - Respondeu seco encarando o celular.
- Está bem? - Eu realmente não sabia o que dizer. Era mais fácil esperar que ele gritasse comigo do que isso.

Inevitável - Capitulo 116

- O que está fazendo aqui? - Lucas perguntou com uma expressão estranha.
- Mamãe! - Felipe saiu de perto de Lucas e foi abraçar a mãe.
- Meu filho mora aqui. - Ela respondeu sem dar muita ideia e se abaixou pra abraçar o filho. - Não que eu lhe deva satisfação.

A pianista - Capitulo 5


Resultado de imagen de cica  tumblr cama

Manchester, Reino Unido, 4 de Novembro de 2014
POV'S SOPHIA
O carro da familia Wells vai embora as três da tarde.

Inevitável - Capitulo 115

- Não tem nada, Sophia. - Se jogou no sofá. - Não tenta virar o jogo desconfiando de mim.Você que estava ai cheia de papinho pra cima do cara.
- Me respeita. Você pode estar com raiva por todos os motivos, mas não tem direto de me tratar assim. - Por causa do meu tom alto, Emily se assustou e começou a chorar. Micael estendeu os braços pedindo ela, eu a entreguei.

A pianista - Capitulo 4

Este capitulo é hot se não gostar por favor não leia.

Imagen relacionada

Utah, Estados Unidos, 3 de Novembro de 2014
POV'S MICAEL
Caminho até a saída do Tsunami e vejo como Chay ainda insiste em ter o número  de telefone da garçom. 

Inevitável - Capitulo 114

- Agora veja se não é a mais bela esposa do meu melhor amigo. - Aquele cara tinha um sorriso irritante nos lábios e eu bufei.
- Você é doente, só pode. - Virei as costas e fui andando pra sala. Ouvi a porta sendo fechada e ele atrás de mim.

Inevitável - Capitulo 113

- Não tem nada acontecendo aqui. - Luiza deu de ombros.
- Aham, e eu agora sou cega pra não perceber o Micael irritado com você Luiza. - Falei brava e Micael suspirou.

A pianista- Capitulo 3












Manchester, Reino Unido,3 de Novembro de 2014
POV'S SOPHIA
Ainda com o roupão de banho e ao som de Stitches de Shawn Mendes seco o meu cabelo com meu secador de cabelo cinza.

Inevitável - Capitulo 112

- O que foi? - Sophia perguntou assim que eu cheguei. - Não me da uma noticia ruim
- O nome do Felipe continua sendo Borges e a guarda dele ainda é minha. - Ela suspirou aliviada.
- Então por que está com essa cara? - Se aproximou e colocou as mãos no meu rosto.

A pianista- Capitulo 2

Resultado de imagen de soldados saludando

POV’S MICAEL
Flahback ON
— Abra a porta sua imprestável! — Mamãe me escondeu trás o sofá e me indicou com o dedo que ficasse calado— Eu irei acabar com sua raça se você não abrir a porta Rosana!


A pianista - Capitulo 1

Resultado de imagen de taza y lluvia                                   











Nova Orleans, 10 de Outubro de 2016
     ­Alguém fala para essa garota que começamos a tocar em Do maior? — Micael gritou para os amigos que o olharam espantados.

A pianista - Sipnose

Oiiii a todas!!! Eu sou a Victoria pra quem não me conhece eu escrevi faz dois anos atrás ( se eu não me engano rsrs) a web Mudanças aqui no blog da Caah

Inevitável - Capitulo 111

A vida de Sophia e de Micael não podia ser melhor. Ele já tinha realmente voltado ao trabalho de forma integral, Sophia ficava com as crianças e a noite eles se amavam. Tinham sempre a visita de ambas as famílias e assim eles foram levando a vida. Mas como tudo que é bom dura pouco, tinha chegado a data da audiência com Lucas, sobre Felipe.

Inevitável - Capitulo 110

Nós mobiliamos a casa toda e depois de um longo mês, finalmente estávamos de mudança pra nossa casa. As malas já estavam prontas e todo mundo estava ajudando a gente levar para o carro. O berço da nossa filha e a nossa cama já estavam na casa nova, então só tinha sobrado roupas pra levar.

Inevitável - Capitulo 109

- Eu simplesmente amei essa casa. - Disse olhando com detalhe todos os cômodos. A casa tinha dois andares, tês quartos e um banheiro na parte de cima; Sala, cozinha, sala de jantar e outro banheiro embaixo. Alem de uma varanda linda e um quintal imenso. Parecia muito fora da nossa realidade.
- Então vamos comprar! - Micael sorriu pra mim e eu vi seus olhos brilharem.

Inevitável - Capitulo 108

- Não acredito que a Luiza fez isso! - Micael disse ainda olhando para o papel, eu só sorri.
- O que eu perdi? - Jorge se aproximou de nós.
- Luiza devolveu o dinheiro da casa. - Ele deu de ombros.

Inevitável - Capitulo 107

- Olha o lado positivo, pelo menos ela não fingiu estar morta. - Ele riu com o nível da piada.
- Você tem um humor absurdo. - Ele negou com a cabeça.
- Melhor rir do que chorar. - Dei de ombros e então observei Sophia vindo com a neném. - Olha, o neném do papai. - Falei com a voz fina e a Sophia me entregou com um sorriso.

Inevitável - Capitulo 106

- Ei, amorzinho! - Disse assim que subi para a cama, ele me olhou de forma carinhosa.
- Que isso, Sophia? - Disse rindo assim que eu me sentei no colo dele.
- Ué, não posso? - Sussurrei ao seu ouvido.

Inevitável - Capitulo 105

- Acho que não temos nada pra conversar. - Marlon disse frio e distante.
- Não é possível que você tenha me esquecido assim... - Falei com a voz carregada pelo choro.
- Não, é claro que não. Eu amo você. - Eu sorri, mas a expressão dele era triste. - Mas como meu irmão sempre disse, nosso namoro foi um erro.

Inevitável - Capitulo 104

- Eu não acredito que aquele cara fez isso. - Ele esbravejou.
- Micael, o Felipe está a mesa. - Eu disse e ele olhou o menino que estava atento aquilo tudo. Se levantou e foi pra fora, eu o segui correndo. - Ei, calma.

Inevitável - Capitulo 103

Eu entrei no quarto meio apreensivo, não sabia o que esperar dessa conversa, mas sabia que seria extremamente dolorosa. Felipe estava sentado na cama, encostado na parede com cara de confuso, mas graças a Deus não tava chorando, não ia conseguir me conter se estivesse.

Inevitável - Capitulo 102

Acordei ás sete horas com Emily chorando, provavelmente com fome. Olhei para o lado e vi Micael dormindo, então levantei rápido para que ele não acordasse com o choro da nossa filha. Passei pela sala e não vi a Luiza no sofá, ou milagrosamente ela já tinha se entendido com Marlon, ou já tinha ido embora.

Inevitável - Capitulo 101

- Micael, não vira sua raiva pra mim. - Respondi calmamente.
- Só te fiz uma pergunta.
- Pelo amor de Deus, não briguem por causa disso também. - Luiza se levantou e se pôs entre nós.
- Olha, ela agora zela pelo nosso relacionamento. - Micael debochou.

Inevitável - Capitulo 100

- Micael, mantenha a calma. - Disse mais uma vez e ele suspirou.
- Desculpa, mas é impossível.
- Olha, Micael... - Luiza tentou começar, mas ele logo interrompeu.

Inevitável - Capitulo 99

- Ué, pensei que era sem briga, Micael! - Marlon debochou do canto.
- Cala a boca, Marlon. - Ele disse com raiva. - Continua. - Lucas estava com a mão no queixo e um sorriso no rosto. Se divertindo, claramente.

Inevitável - Capitulo 98

Luiza narrando:

Quando sai do quarto de Sophia e Micael a noite, eu esperava ver Marlon ainda na sala me esperando, mas não foi o que aconteceu. Infelizmente, só Lucas estava ali e eu estava com medo de que ele me agarrasse ou fizesse qualquer outra coisa.

Inevitável - Capitulo 97

- Ué, foi o seu amor? - Marlon perguntou suspeitando.
- Foi, coincidência. - Ela riu sem graça.
- Pois é, muita coincidência mesmo. - Ele complementou e eu rolei os olhos.

Inevitável - Capitulo 96

- Olá. - Eu me aproximei devagar e meio que puxei Luiza também.
- Oi, você deve ser a Sophia! - Ele disse simpático, levantou e me cumprimentou com um beijo na bochecha. - Oi, Luiza. - Ele foi dar um beijo na bochecha dela, e cochichou alguma coisa, os outros talvez não perceberam, mas eu sim.

Inevitável - Capitulo 95

- Quer dizer então que vocês se resolveram? - Marlon perguntou enquanto estávamos a mesa, jantando.
- Sempre estivemos bem. - Micael respondeu seco.
- Acho que quem tem alguma coisa pra resolver aqui são vocês dois. - Falei meio sem entender aquele clima tenso entre os dois. Até a pouco estava tudo bem.

Inevitável - Capitulo 94

- Viu só? - Fiquei de pé e Luiza riu. - Agora eu vou entrar lá e ela vai gritar um monte de coisas.
- Não exagera. - Rolou os olhos.
- Ah, querida, isso não é exagero. - Arregalei os olhos.

Inevitável - Capitulo 93

Sophia já tinha saído do hospital e estava em casa há mais de um mês. Emily era a menina mais mimada da historia, isso por todos nós.

Inevitável - Capitulo 92

- Sophia, eu pensei que agora não era o momento... - Ele começou, mas eu suspirei e ele parou.
- Não era o momento quando a minha filha estava aqui. - Rolei os olhos.

Inevitável - Capitulo 91

Eu já estava na sala de parto, mas não tinha nenhuma noticia de Micael. Eu realmente não queria dar a luz a nossa filha sem que ele estivesse aqui, mas não tinha como segurar isso. Como eu cheguei aqui sem dor e minha bolsa já tinha estourado, eles me deram um remédio pra ajudar nas contrações e agora eu estava praticamente chorando.

Inevitável - Capitulo 90

Eu tinha saído pra andar, esfriar um pouco a cabeça depois daquela briga toda. Eu não tinha um rumo, ou algo do tipo. O que eu sei, é que a louca da Luiza me alcançou depois de um tempo.

Inevitável - Capitulo 89

- Micael, não surta. - Falei quando ele se aproximou.
- Por que estavam se abraçando? - Disse num tom controlado.
- Porque estávamos conversando e acabou acontecendo. - Falei baixo, mas parece que piorou a situação.

Inevitável - Capitulo 88

Luiza foi embora assim que o jantar acabou e Marlon se trancou no quarto. Eu me despedi de Jorge, e fui dar um beijinho na testa de Felipe antes que ele dormisse. Por conta dessa barriga imensa, Micael tinha dado banho nele essas ultimas semanas.
Quando me deitei na cama ao lado de Micael, ele não disse nada, apenas ficou acariciando a minha barriga.

Inevitável - Capitulo 87

- Sophia, o que você tem? - Micael veio correndo desesperado.
- Pare de perguntar o que ela tem e vamos logo pro hospital. - Luiza repreendeu e eu mentalmente agradeci. Minha bebê não podia nascer ainda, estava apenas com 7 meses.

Inevitável - Capitulo 86 Bônus

- O que está acontecendo entre você e a Luiza? - Perguntei completamente alterado, assim que chegamos no quintal dos fundos.
- Nada, por que estaria acontecendo alguma coisa? - Disse cínico e eu suspirei.

Inevitável - Capitulo 85

- Será que ele vai querer ficar ai o dia todo? - Luiza disse impaciente. - É muito manhoso.
- Ele se machucou! - Fui grosseira. - A culpa não é minha se ele prefere ficar comigo.
- Sophia, só prefere por causa daquele acidente.

Inevitável - Capitulo 84

- Amor? - Micael me gritou do banheiro. - Pode me trazer a toalha? Esqueci.
- Tô indo. - Gritei de volta e fui atrás da porta buscar a toalha pra ele. Entrei no banheiro e o olhei de cima a baixo. - Você ai todo gostoso e eu imensa desse jeito.

Inevitável - Capitulo 83

- Tchau, mãe. - Me despedi na porta e suspirei. Voltei pro sofá e ver Micael e Felipe brincando não tinha preço. - Você deve ser o melhor pai do mundo, sabia?
- Devo ser? - Arqueou uma sobrancelha e me encarou. - Eu sou, mulher! - Eu cai na gargalhada e me sentei junto deles.

Inevitável - Capitulo 82

Se passaram três meses. Sophia estava com uma linda barriga de sete meses. Esperávamos Emily, nossa menininha. Sim, a medica tinha errado daquela vez e Sophia estava radiante com esse fato. Luiza também não estava enchendo muito a paciência, só insistia em visitar o Felipe, acho que só pra me tirar do sério. Nosso divorcio ainda não tinha saído, assim como a guarda do Felipe ainda não tinha sido decidida definitivamente.

Inevitável - Capitulo 81

Dois dias tinham se passado e aparentemente nossa vida estava normal de novo, mas eu sabia que não duraria muito tempo.

Inevitável - Capitulo 80 Bônus

- Eu tenho um excelente advogado. - Eu abri os olhos e o vi sorrindo. - Meu Deus do céu Sophia, o que aconteceu com você?
- Jura que a primeira coisa que vai fazer é brigar comigo?

Inevitável - Capitulo 79

Cheguei em casa tarde naquele dia, já passava das duas. Eu com certeza não iria naquela consulta sem o Micael, ele queria estar presente e se eu fosse sem ele, não me sentiria bem. Também não dava mais tempo, ela estava marcada pra duas e meia da tarde, e quando passei pela porta, já era quase isso.

Inevitável - Capitulo 78

Cheguei na casa da minha mãe com vontade de quebrar tudo e botar fogo. Mas precisava de calma, já que estava gravida e ainda por cima, com Felipe. Bati na porta por três vezes, mas ninguém atendeu, tinha uma musica alta vindo provavelmente da sala, então eu abri. Vi Luiza dançando junto com a minha mãe um musica que eu nem sabia que existia. Felipe largou a minha mão e foi abraçar Luiza. Eu fui até a TV e desliguei.

Inevitável - Capitulo 77

Acordamos no outro dia com a campainha tocando. Eram sete da manhã, olhei pro lado e Micael estava sentado com os olhos fechados, sonolentos.

Inevitável - Capitulo 76

- Oi amor. - Ouvi sua voz e  logo fiquei preocupada se tinha dado tudo certo. Mas é claro que não deu, Meu subconsciente me lembrava.
- Oi linda. - Ficamos em silencio e essa foi a confirmação.
- Não deu certo né? - Eu o imaginei do outro lado dando de ombros.

Inevitável - Capitulo 75

Passei a manhã sem grandes casos, só dando uma estudada e me preparando porque logo teria uma audiência de um cliente e eu não estava com a menor cabeça pra aquilo. Sai do escritório ás 15 horas. Não vi meu pai e nem meu irmão na saída pra me despedir, mas mesmo assim sai.

Inevitável - Capitulo 74

- A gente devia ter casado antes. - Sophia sussurrou.
- Não ia adiantar, assim que ela voltasse, nosso casamento seria anulado. - Joguei as fotos de volta na caixa e respirei fundo.

Inevitável - Capitulo 73

- Mas é logico que sim! - Ele sorriu ainda mais enquanto eu chorona do jeito que era, continuava chorando. - Você ainda tem duvidas?
- Ué, vai que você tem raiva de mim. - Eu o encarei.

Inevitável - Capitulo 72

Quando estávamos indo pra mesa, Marlon chegou e assim que me viu, sorriu. Não sei porquê. Eu não tinha trocado dez palavras com Micael e ele estava com um bico enorme por causa disso, eu imagino. 

Inevitável - Capitulo 71

- Vamos buscar o Felipe! - Ele disse assim que saiu do banho só enrolado numa toalha e sacudindo os cabelos molhados.
- Ai, Micael. - Pus as mãos na frente do rosto e ele riu. - Parece um cachorro fazendo isso!
- Ué, agora eu sou um cachorro? - Fingiu um tom de voz magoado e me fez rir.

Inevitável - Capitulo 69

Sophia tinha acabado de subir e eu estava sentado na sala roendo as unhas com a demora. Na verdade não estava demorando, mas ficar longe dela por um minuto parecia 10. Eu olhava para o teto, para a televisão, para o piso e mesmo assim não sabia o que fazer. tirei meu celular do bolso e fui jogar uma partidinha de Clash Royale, é bom pra passar o tempo.

Inevitável - Capitulo 68

Micael foi embora não muito tarde e eu tive tempo de dar um abraço e um beijo em Felipe. Eu terminei de jantar e fui pro meu tomar um banho antes de dormir. Naquela noite sonhei com meu pequeno e como seria seu rostinho.
Acordei super animada na manhã seguinte e depois de escovar os dentes e tomar um longo banho desci pra sala com um sorriso enorme.

Inevitável - Capitulo 67

No dia seguinte acordei cedo pra ir trabalhar, precisa conversar com Lua sobre tudo que estava acontecendo na minha vida ultimamente. Tomei meu banho e desci para o café, como sempre, ninguém estava acordado ainda. Fiz um sanduíche e tomei um copo de suco, depois sai comendo uma pêra. já que é pra comer, vamos comer. Rolei os olhos, peguei minha bolsa e então sai de casa.
Cheguei antes da hora como sempre e sorri ao me aproximar de Lua, que estava conversando animadamente com Mel, uma outra colega, mas eu não tinha muita intimidade.

Inevitável - Capitulo 66

- Filha? - Eu ouvi uma voz tímida me chamar de longe e respirei fundo antes de responder, me ajeitando melhor no sofá.
- Oi, mãe! - Ela se aproximou cautelosa e passos lentos

Inevitável - Capitulo 65

Parei aquele beijo com selinhos, apesar de termos nos beijado no quarto, eu ainda estava com muitas saudades dele. Ele me abraçou e eu fiquei ali em seu peito de bom grado por um tempo.

Inevitável - Capitulo 64

- O quê? - Eu já não sabia mais o que dizer, só me faltava agora a Sophia acreditar nela. - Deixa de ser mentirosa Luiza, agora eu já vi quem você é, não adianta mais mentir que eu não vou mais ficar com você, pra que tá mantendo isso? - Eu pude reparar que ela reprimia um sorriso.

Inevitável - Capitulo 63 Bônus

- De qualquer forma, você ficou com a Luiza. - Me afastei dele indo me sentar na cadeira da minha penteadeira e fiquei olhando para o espelho.
- A Luiza me manipulou e a você também. - Levantei uma sobrancelha.

Inevitável - Capitulo 62

Cheguei no carro na frente daqueles dois e assim que Micael destravou o alarme eu ia entrar no banco de trás, mas ele segurou meu braço.
- Na frente, Sophia. - Disse sério e eu neguei com a cabeça.
- Não tô afim. - Sorri debochada.

Inevitável - Capitulo 61

Eu tinha acabado de expulsar o Micael e a Luiza do meu quarto e agora não sabia o que fazer. Eu tinha as mãos sobre a barriga e ficava pensando em que péssima hora esse bebê foi aparecer. Eu pelo menos tinha um emprego, já que eu não fazia questão da ajuda de Micael.
Depois de algum tempo sozinha ali pensando sobre o que eu ia fazer, o antigo médico entrou no meu quarto sorrindo.

Inevitável - Capitulo 60

- Sophia está acordada, já podem vê-la. - O medico disse e nos indicou onde era o quarto.

Quando entramos ela se surpreendeu, mas não disse nada. Eu tive dó, ela estava com uma intravenosa no braço e uma cara de abatida, minha vontade de abraça-la estava grande demais, ainda mais agora que fomos vitimas de uma armação.

Inevitável - Capitulo 59

- Sophia, o que você tem? - Ouvi a voz de Micael preocupada me perguntar.

Eu estava apoiada ao braço do sofá com uma tontura chata que não me deixava prestar atenção em nada e nem sair daquele lugar. Senti mãos me puxando e sentando no sofá, mas eu tinha os olhos fechados, não sabia de quem era.

Inevitável - Capitulo 58

Um mês passou e eu não tinha esclarecido aquela situação com Micael e sinceramente não queria nem olhar na cara dele, quem dirá falar. Lua tinha me arrumado um emprego e assim eu não precisava ficar em casa olhando pra minha mãe e pra filha preferida dela. Meu pai não tinha muita opinião mesmo, não fazia diferença.

Inevitável - Capitulo 56

Micael narrando.

Uma semana e nada da Sophia aparecer, eu já estava desesperado e louco por noticias. Liguei pra casa da mãe dela, mas a mesma disse que Sophia não tinha ido pra lá e eu não tinha a menor ideia de onde procurar. Com aperto no peito eu comecei a procurar em hospitais e delegacias, com vontade de achar, mas com medo de alguma coisa ter acontecido. A mãe dela disse que ia fazer o mesmo. Eu tinha proibido a entrada da Luiza na minha casa, já tinha causado muita confusão na minha vida e eu tinha certeza que Sophia não me perdoaria se eu ficasse com ela de verdade.

Inevitável - Capitulo 55

- Não vamos nos resolver. - Disse frio saindo de perto dela. - Não temos nada pra fazer isso.
- Micael, a Sophia já te largou. - Falou dura.
- A Soph me ama. - Vi ela vacilar e então sorri. - Será que é difícil pra você entender?
- Olha o que você está dizendo. Você nunca me diria isso. - Ela deu um passo pra trás.

Inevitável - Capitulo 54

Quando acordei Micael não estava no quarto. Ouvi vozes vindas do corredor e não tive coragem de ir até lá e ver uma cena que eu não gostaria nem um pouco. Quando ele voltou, estava de cueca ainda e eu tentei fazer com que isso não me irritasse muito, sem sucesso.
Conversamos por um tempo até que ele me pediu desculpas e eu pude ter certeza de que tinha acontecido alguma coisa além de ter a mandado embora.

Inevitável - Capitulo 53

Sophia então tinha pegado no sono deitada em meu peito e eu não pude parar de olhar. Dei um beijo no topo de sua cabeça e fiquei ali olhando para o teto pensando na minha vida. Dei um jeitinho de levantar sem acorda-la e fui até a janela e fiquei olhando pra fora. Ouvi um barulho e me virei a tempo de ver Felipe invadindo o quarto correndo. Coloquei o dedo indicador sobre meu lábios em um singelo "Shhh" pra ele e apontei em seguida, Sophia dormindo.

Inevitável - Capitulo 52

- Será que ele acha que eu mordo? - Ela sorriu, mas sua expressão á reação de Micael era de dor.
- Não entendi porque ele fez isso, mas foi melhor assim. - Dei de ombros.
- Sophia, não vou roubar o Micael de você. - Eu virei minha cabeça de lado e ri de deboche. - Vocês vão terminar sem a minha interferência.

Inevitável - Capitulo 51

Nos dias que se sucederam Luiza não atrapalhou mais a gente, na verdade nem deu sinal de vida e eu estava começando a achar a vida normal outra vez. Micael ia trabalhar, eu ficava com Felipe e a casa e quando ele chegava fazíamos amor, apaixonados. Eu estava feliz, e toda aquela insegurança desde o dia em que Luiza voltara, estava diminuindo a cada "eu te amo" que o Micael sussurrava em meus ouvidos.

Inevitável - Capitulo 50

Acordei e o braço de Micael ainda estava sobre mim. Tentei levantar sem me mexer muito, não queria acorda-lo. Tive sucesso. Fui tomar um banho e evitei pensar em tudo que aconteceu ontem. Depois de escovar os dentes, fui pra cozinha preparar o café e tive uma surpresa ao ver Felipe descendo logo depois.

Inevitável - Capitulo 49

Descemos rindo e no final da escada encontramos uma Luiza com uma cara nem um pouco agradável. Branca e Renato estavam no outro sofá e eu tinha quase certeza que eles falaram pra Luiza a verdade. Felipe, que estava no seu colo, se levantou e veio pra perto de nós.

Inevitável - Capitulo 48

- O que aconteceu com ela? - Luiza perguntou aos pais que não sabiam responder e apenas negaram com a cabeça. - Vou lá falar com ela. - Eu a segurei.
- Deixa que eu vou, curte o Felipe aí, porque daqui a pouco vamos pra casa. - Ela sorriu pra mim.
- E desde quando você "fala" com ela? - Ela riu e eu fiquei sem graça.

Inevitável - Capitulo 47

- O que vocês vão fazer agora? - Minha mãe perguntou assim que nós nos afastamos deles.
- Não sei! - Disse confusa, me sentando na cadeira, na cozinha.
- Como não sabe, Sophia? - Ela era rude. - Luiza esta de volta, vai querer o Micael.

Inevitável - Capitulo 46

Já era noite. Luiza estava consideravelmente melhor e falante. Conversara a tarde toda com o Felipe e com os pais, enquanto eu e Sophia ficamos quietos e pensativos. Agora, eu já estava querendo ir embora e não sabia o que dizer, pois queria que Sophia viesse comigo.

Inevitável - Capitulo 45

- Luiza! - Branca correu para abraça-la, mas a mulher não tinha mais forças nem pra se levantar e acabou no chão abraçada com a mãe. Renato também se aproximou e logo pude ver Sophia também indo ajudar. Eu permaneci ali, imóvel e mudo, sem ação. - Filha, o que te aconteceu? - Tudo era apenas um borrão, eu agora só ouvia as vozes, não estava assimilando a conversa. Foi só quando ouvi a voz de Sophia que sai de meu transe.

Inevitável - Capitulo 44

- Chegamos crianças. - Eu disse pra eles assim que estacionei.
- Acho que só tem uma criança aqui! - Ela respondeu rindo.
- Não sei amor. - dei um selinho e nós saímos do carro. Sophia foi soltar Felipe e ele entrou correndo.
- Casa de vó é realmente a melhor coisa né? - Eu comentei enquanto entravamos de mãos dadas.
- Eu odiava a minha, parece um quartel. - Ela revirou os olhos.

Inevitável - Capitulo 43

Se passaram 3 anos. 3 anos que eu nem vi passar de tão perfeitos que foram. Sophia, agora morava comigo de verdade e éramos incrivelmente Felizes. Felipe, agora com 4 anos, a adorava, mas nós, sempre fizemos questão de deixar claro quem era realmente a sua mãe, com fotos deles pela casa e com conversas. Nossas famílias aceitavam agora, depois de muito teimar, o nosso relacionamento. Não tínhamos do que reclamar.

Inevitável - Capitulo 42

Os dias foram se passando e não tinha como ser melhor o que estávamos vivendo. Nossos pais não aceitavam muito bem aquilo, mas sinceramente, quem se importava? Nós estávamos felizes.
Naquela tarde quando cheguei em casa encontrei meus sogros no meu sofá, tomando um café com a Sophia e bufei. Estava feliz por ela, claro, mas não me sentia nem um pouco na obrigação de tratar aqueles dois com educação.

Inevitável - Capitulo 41

- Eu não sabia que meus pais eram assim! - Ela parecia desesperada e eu comecei a me sentir um pouco culpado por querer de certa forma, culpar ela.
- Eu sei que não, nem eu de certa forma. Só que eles sempre foram contra sua irmã se envolver comigo, e agora parece que estou vivendo tudo de novo.

Inevitável - Capitulo 40

- Você tem que perder essa mania de resolver tudo com sexo, sabia? - Ele disse agora que estávamos deitados ainda nus.
- Tenho? - Levantei uma sobrancelha e ele riu.
- Não. - Fez uma pausa. - Eu gosto disso.

Inevitável - Capitulo 39

- Mica! - Eu falei mais alto e mais empolgado do que eu planejava.
- Oi, Sophia. - Ele por sua vez, não parecia feliz em me ver. Me aproximei de Felipe.
- Oi amor da titia. Como você tá?

Inevitável - Capitulo 38

Lua e eu sempre nos damos bem. Nós nos conhecemos na escola e essa amizade se estendeu por além dos anos. A casa dela sempre foi perto da minha e então nem demorei e cheguei, pouco mais do que vinte minutos. Toquei a campainha e quem me atendeu foi seu namorado, que também era nosso amigo da escola.

Inevitável - Capitulo 37

- Sophia, você não pode fazer isso! – Meu pai disse e eu revirei os olhos.
- Não respondeu minha pergunta. – Falei rispidamente.
- Porque era o marido dela, Sophia. – Minha mãe jogou na minha cara. – Parece que você sempre esteve de olho nele.

Inevitável - Capitulo 36

O final de semana chegou de pressa e eu estava a caminho da casa da mãe de Sophia. Nós estávamos quase chegando e Felipe cochilava no banco de trás. Sophia cantarolava lindamente uma musica qualquer junto com o radio.

Inevitável - Capitulo 35

- Você sabe que eu não fiz nada de errado né? - Perguntei, ela ainda não me olhava.
- Fez sim. - Disse com voz brava.
- Fiz o quê?

Inevitável - Capitulo 34

Nós nos divertimos bastante no shopping, como a muito tempo eu não fazia. Fomos ao cinema, depois comemos, deixamos Felipe em um lugar para crianças para brincar um pouco e fomos dar uma volta. Em uma loja, eu quase arrumei uma confusão com aquele vendedor que estava dando em cima dela, mas ela parecia nem notar, o que me confortou, enquanto ele a babava, ela me olhava, enquanto decidia entre um vestido vermelho ou preto. Comprou o preto e então nós voltamos pra buscar Felipe e voltamos pra casa.

Inevitável - Capitulo 33

-Você comentou com a sua mãe que estamos juntos? - Perguntei erguendo uma sobrancelha e ela me pareceu um pouco sem graça.
- Sabe que minha mãe é uma pessoa complicada né? - Ela me fez cair na gargalhada, parecia estar com medo.

Inevitável - Capitulo 32

- Está tudo bem? – Ouvi uma voz suave atrás de mim e então seus passos. Não me virei e ela sentou ao meu lado passando os dedos pelo meu cabelo. Eu fechei os olhos aproveitando aquele carinho.
- Está. – Respirei fundo. Está? Meu subconsciente me pergunta.

Inevitável - Capitulo 31

O dia no trabalho foi meio entediante, todos os dias eram assim naquele lugar. A firma não era tão reconhecida quando a do meu pai e aparentemente estava com os dias contados. Não tive um só cliente o dia todo e então aproveitei para ficar pensando nessa vida confusa que ando levando, o que obviamente não deu muito certo então eu apenas fiquei me lembrando da manhã maravilhosa que tive com Sophia, ah, aquela menina sabe mexer comigo. Balancei a cabeça rindo.

Inevitável - Capitulo 30

Acordei e a vi ali deitada dormindo serenamente sobre meu peito, meu braço a envolvia e com o outro livre comecei a fazer carinho e tirar seu cabelo da testa. Ela se remexeu um pouco, mas não acordou. Olhei para o lado e vi meu celular, tentei me esticar para pegar fazendo o minimo de movimento para que ela não acordasse. Eram apenas seis e meia, muito cedo. Não ouvi Felipe chorar, o que já é uma surpresa incrível. Fiquei ali parado por mais um tempo a olhando, até que tive que levantar. Ela remexeu de novo, dessa vez ela acordou, mas não abriu os olhos.

Inevitável - Capitulo 29

- Sophia, você mentiu pra mim? - Esbravejei e joguei as mãos para o alto num ato de revolta.
- Micael eu... - Ela não tinha palavras pra terminar as frases.
- Você mentiu. Que tipo de relação é essa que começa com mentira? - Disse um pouco revoltado e então ela sorriu. Um sorriso tão puro que fez meu coração parar na hora. Ai, o amor é um sentimento tão idiota... Sem contar que ela não mentiu por mal, de certa forma estava me incentivando aquilo. Ah, tô um pouco confuso. - Por que está sorrindo?