Reviravolta - Capitulo 11

Nos separamos e estavamos com muita vergonha, então me levantei rápido e sem olhar para ele e comecei a juntar minhas coisas para ir embora.
- Onde você vai? – Perguntou confuso.

- Vou embora, já está tarde. – Falei sem olhar ele. Peguei tudo rápido e fui para a porta, quando cheguei lá senti uma mão puxando meu braço e me fazendo girar.
- O que foi? – Sua voz era sofrida – Não me deixa, por favor.
- É que... – Comecei a falar e não terminei.
- Desculpa se você não gostou, não farei mais... – Sua voz era triste, ele suplicava.
- Não é isso, é só que... – Não disse mais nada outra vez. Por que era tão difícil expressar o que eu sentia?
- Não vai embora assim! – Ele pedia – Você foi a única pessoa que já se importou comigo, não faz isso agora! Não me deixa sozinho nessa casa.

Eu o abracei forte, deixando minha bolsa cair no chão. Eu não sei por que estava chorando tanto, alias eu sei. Tinha medo. Eu me senti tão bem naquele abraço que quando vi estávamos sentados ali no chão de novo  e ainda abraçados.

- Está mais calma? – Ele perguntou me afastando para me olhar nos olhos. Eu assenti – O que foi que aconteceu?
- Não estou preparada para isso. – Solucei. – Não posso me envolver assim.
- Sophia, o que realmente aconteceu com esse seu namorado? – Perguntou olhando nos olhos, e uma mão fazia carinho em mim.

Respirei fundo, um conflito interno acontecia para decidir se era ou não o momento de contar ou de ao menos voltar a pensar em tudo que aconteceu no passado. Doia só de pensar, lembrar não era a melhor sensação do mundo e só isso me deixava mal novamente. Eu o abracei bem forte antes de começar a falar sobre esse assunto que tanto mexia comigo.

- Bom, eu já te contei o que aconteceu. – Tentei ser breve. – Eu tinha um namorado, ele me traiu, ai eu terminei.
- Conta a história completa. Eu te beijei e você chorou. – Parecia indignado – Ou tem alguma coisa muito ruim, ou eu que sou muito ruim. – Ele riu.
- Não foi isso, é que... Bom, eu sempre fui muito apaixonada pelo Mauricio, antes dele eu tinha um namorado que eu larguei para ficar com ele. Nossa relação sempre foi boa, meus amigos sempre eram amigos dele também e meus pais simplesmente o idolatravam.
- Nossa, mas por que tudo isso? – Perguntou curioso.
- Ah ele sempre foi um modelinho de homem muito disputado. Bonito, rico e mesmo assim trabalhava, atencioso sabe... O sonho de qualquer mulher.
- Tô entendendo. – Falou desanimado.
- Eu tinha muito ciúmes, muito medo de perde-lo para outra pessoa.  – Engoli em seco – Ate que resolvemos casar. Marcamos a data, preparamos a festa e eu tinha até meu vestido pronto. E então, faltando dois meses para o nosso casamente... – Não consegui terminar, cai no choro e ele me agarrou de novo.
- Olha, se não quiser, não precisa terminar, eu entendo. – Disse e fez cafuné na minha cabeça.
- Vou terminar, você me contou né? Minha vez agora. – Eu tentei parar um pouco de chorar e consegui. – Faltando dois meses ele me traiu, não foi só isso... Ele terminou comigo na frente de alguns amigos nossos e assumiu que estava ficando com a Juliana... – Desabafei.
- Como assim? E quem é Juliana? – Perguntou realmente interessado.
- A Ju era minha melhor amiga desde que nasci. – Mais lagrimas involuntárias. – Aquela que conhecia todos os meus defeitos, todos os meus segredos, tudo sabe. Eu não acreditei quando ela fez isso! – Passei as costas da mão no rosto pra secar. – Eu tenho a Lua e a Mel, mas não são amigas de infância, eu as conheci já no ensino médio. Foi um baque muito grande eu sofri demais.
- Calma, eu entendo o que você esta sentindo. – Me abraçou outra vez. Era o que eu mais gostava nele, ele abraçava sem necessáriamente pedir a ele. – Se não quiser mais falar nesse assunto tudo bem...
- Não me importo, é sempre bom desabafar. – Sorri. – Eu estou muito machucada, meu casamento seria dia 24 desse mês e cada dia eu me lembro mais disso tudo.
- Mas ele não se arrependeu? Não te procurou?
- Sim, já me procurou diversas vezes dizendo que ela não era mulher para ele, mas eu não vou perdoar. Não nasci para isso. Hoje em dia não quero nem falar com ela, muito menos com ele.
-Te entendo. – Me olhou nos olhos. – Serei seu amigo acima de tudo, não se preocupe. Não estou com intenção de avançar nenhum sinal, afinal eu realmente gosto de você, mesmo parecendo louco. Estarei sempre aqui, mesmo se você decidir por qualquer motivo que quer ficar com ele novamente ou com qualquer outro... Sei que é louco, mas eu tenho vontade de te proteger do mundo sabia?

- Isso é muito bom! – Eu sorri – Precisava de um amigo como você...

5 comentários: