Meu Professor - Capitulo 94

Ele voltou a casa de Fernando. Rodrigo ainda estava lá.
Rodrigo: Achou?
Mica: A Gabriela não esta em lugar nenhum. Achei o telefone dela no caminho.

Rodrigo: Não pode ser, procura direito.
Ele saiu como um louco pela porta. Precisava achar as duas.
Logo depois de Rodrigo ter saido tocaram a campainha e o Fernando atendeu. Era o detetive.
Fernando: Novidades?
Ricardo Algumas, podemos conversar?
Fernando: Sim entre.
Eles seguem para sala, onde Mica estava sentado no sofá.
Ricardo: Bom dia Rapaz.
Ele só balança a cabeça.
Fernando: Pode falar já!
Ricardo: O DNA com o corpo felizmente não é o de sua filha.
O alivio toma conta dos dois que respiram fundo.
Fernando: Isso é bom!
Ricardo: Mas isso também nos deixa sem indícios. Quem quer que tenha pego sua filha, esta fazendo de tudo para nos fazer perder tempo e ir pelo caminho errado.
Fernando: Então não perca tempo, pra que eu pago vocês?
Ricardo: Tudo tem que ser averiguado.
Fernando: Eu não quero saber, eu quero a minha filha, e agora a irmã dele acaba de sumir também.
Ricardo: Quem?
Mica: A Gabriela, ela estava aqui ontem, só que hoje saiu por um instante sozinha e sumiu. Achei o celular dela no chão.
Ricardo: Isso tá cada vez mais estranho, quem tinha tanto ódio assim?
Mica: Eu já disse ao senhor.
Ricardo: Uma simples professora não seria capaz de tudo isso!
Mica revira os olhos.
Mica: Eu pensei que tudo tivesse que ser averiguado. - Levanta uma sobrancelha pra ele.
Ricardo: Muito bem, otimo argumento. Deveria ser da policia rapaz.
Micael se permite um sorriso.
Mica: Já me disseram isso.
Ricardo: Sabe o endereço da casa dessa mulher?
Mica: O endereço não sei, só sei como chegar lá.
Ricardo: Então nos leve, mas você não vai entrar.
Mica: Tudo bem.
Fernando: Eu não vou?
Ricardo: Acho melhor não, dentro de momentos nos voltaremos.
Eles seguem para o carro da policia. Micael sentou no banco de trás.
Ricardo: Qual o nome todo da sua irmã?
Mica: Gabriela de Farias Borges.
Ricardo: Ok.
O silêncio foi reinando no carro, fora as instruções de direção que Micael dava ao policial.
Micael: Aquela casa com a porta branca ali.
Ricardo: muito bem. Vou ir lá e você não saia do carro. - Ele só assente.
Sibely só atende umas três batidas depois.
Sibely: Sim, em que posso ajudar?
Ele mostra o distintivo.
Ricardo: Policia, queria algumas informações da senhora, podemos conversar?
Sibely: Claro que sim, entre.
Eles passam pela sala, o Detetive olhando tudo em volta pra ver algo estranho.
Sibely: Sim, a que devo a visita? - Ela diz quando chegam a cozinha e se sentam á mesa.
Ricardo: Meu nome é Ricardo, sou detetive e eu vim perguntar a senhora se tem visto as alunas Sophia Sampaio Abrahão e Gabriela de Farias Borges.
Sibely: Depois que fui demitida por causa da loirinha nunca mais vi.
Ricardo: Esse é o ponto, quero saber se tem alguma coisa a ver com esse desaparecimento misterioso.
Sibely: Eu tenho cara de sequestradora?
Ricardo: As pessoas não costumam ter escrito na testa "eu sequestro pessoas"
Sibely: Não, eu não sei de nada, por que eu saberia. - Ela já estava um pouco irritada.
Ricardo: A senhora saiu da escola ameaçando a aluna Sophia e seu namorado. Jurou vingança.
Sibely: Falei por que estava com raiva, não significava que eu ia fazer.
Ricardo: Hum, sei... Bom nosso papo fica por aqui, obrigada por me receber.
Sibely: Só não aguardo essa visita de novo, não a do detetive, mas se for só o Ricardo quem sabe...
Ela claramente se insinua pra ele.
Ricardo: Lamento, sou casado, e Muito bem casado.
Ela vira as costas e sai da casa dela quando chega no carro.
Mica: E ai?
Ricardo: Essa mulher sabe jogar...

7 comentários:

  1. Já ta de ferias ???
    Web perfeita

    ResponderExcluir
  2. Posta mais muie essa sibely e um piranha sem vergonha

    ResponderExcluir
  3. quando vai achar a soph e ainda tem a gabi ja tou ficando nervosa rs

    ResponderExcluir