Reviravolta - Capitulo 44

Andei por um tempo no jardim até achar Alycia e Larissa sentadas bem próximo de onde eu estava mais cedo com Sophia. Eu me aproximei devagar com medo da reação dela e pra minha surpresa ela sorriu quando me viu, um sorriso tímido, mas ele me deixou aliviado. Sentei perto das duas que ficaram me olhando.

- Será que eu posso conversar com você Alycia? - Perguntei com medo de uma resposta negativa, mas ela apenas assentiu. - Larissa, sem querer pedir demais, mas você pode deixar eu falar com ela um minutinho?
- Olha Micael eu não sei... - Ela começou a falar e eu a interrompi.
- Não vou falar nada demais. - A olhei nos olhos e senti que ela relaxou.
- Tudo bem então, volto já. - Deu um beijo na testa da Alycia, um esboço de sorriso pra mim e se afastou.
- Você me desculpa, princesa? - Perguntei a ela, ela me olhava com os olhinhos tristes, parecia querer chorar de novo.
- Você tava gritando com meu vovô e meu papai. - Disse assustada.
- Alycia, essa vida de adultos é muito complicada para você entender. As pessoas as vezes se desentendem e acabam brigando. - Respirei fundo aquilo seria mais difícil do que eu imaginava.
- Eu sei, já vi a mamãe e o papai brigando um monte de vezes! - Falou inocente e eu não reprimi o sorriso.
- Então, não foi por mal viu. Você me desculpa? - Perguntei abrindo os braços para um abraço. Ela abriu um lindo sorriso e se jogou no meu colo, eu agora estava sentado no chão com ela.
- Claro que sim tio Mica - Ela falou e eu tive uma pontada de decepção, engoli em seco e então a apertei forte.
- Eu queria ter tido a chance de estar com você desde bebê! - Desabafei.
- E por que não esteve. - Se sentou a minha frente e me olhava seriamente.
- Porque seu vovô não gosta de mim. - Dei de ombros e pra minha surpresa ela fez uma coisa que me lembrou muito a Sophia, revirou os olhos.
- Minha mãe gosta e eu também ué. - Eu me sentia conversando com uma pessoa adulta e não com uma criança de cinco anos.
- Não é suficiente, alem do que o mala do seu pai também não me quer por perto. - Foi eu que revirei os olhos, como se o que ele pensava me importava.
- Se quiser eu falo com o meu vovô que eu gosto de você. - Eu sorri, e passei a mão pelo rosto dela. Era uma menina de ouro. - Mas só faço isso se a gente brincar mais vezes.
- A gente vai brincar muito meu anjo. - Ela abriu um largo sorriso. - Até você estar bem grandona e enjoar de mim. - Eu ri e ela riu também. Larissa voltou e se sentou perto de nós.
- Vejo que já se entenderam, me contem a piada também! - Disse rindo.
- O tio Mica falou que vai ficar brincando comigo até eu enjoar dele. - Ela riu, dessa vez eu não ri tanto, ela me chamando de tio realmente me incomodava.
- Ah então ele não sabe a energia que essa pequena tem. - Falou e começou a fazer cosquinhas na Alycia que se contorcia inteira dando gargalhadas. Era muito bom aquele som.
- Para dindinha. - Ela falou pegando ar.
- Parei, vamos brincar de pique-esconde? - Ela se levantou na hora animada. - Então você se esconde, Micael e eu vamos te procurar.  - Ela assentiu e saiu correndo, nós nos levantamos.
- Você teria sido um ótimo pai. - Disse enquanto caminhávamos devagar, fingindo procurar por Alycia.
- Eu vou ser! Alycia é minha filha e eu quero recurar esses cinco anos que eu perdi, não é querer muito.
- Não, não é. - Ela deu de ombros. - Só você entender que ela já tinha uma vida estruturada com pai e mãe antes. Não pode mudar isso do nada.
- Eu sei, mas queria ouvir ela me chamando de papai algum dia... - Nós então ficamos em silencio.
- Me desculpa. - Falou após alguns instantes e me deixou sem nada entender.
- Pelo quê?
- Fui eu que fiz a Sophia ficar com Diego mesmo sem ela querer. Ela tava muito mal por causa de você, eu não estava aguentando mais. Parecia uma morta viva. - Foi a vez dela desabafar.
- Eu não tinha feito nada, eu também sofri muito aqui. - Falei como explicação.
- Eu sei, mas quando ela recebeu aquele telefonema... - Interrompi.
- Que telefonema? - E então eu vi Alycia atras da árvore. - Achei você Alycia, atrás da arvore, vai se esconder de novo - gritei pra ela e a observamos sair correndo outra vez.
- Uma amiga dela, Lua, disse que te encontrou num parque, você não deixou ela falar da Sophia e disse que estava namorando. - Explicou dando de ombros e então eu me lembrei daquele dia.
- Ah eu me lembro, se eu tivesse deixado ela falar. - Sussurrei arrependido.
- Teria conseguido o numero dela, e nada disse estaria acontecendo. Mas enfim, quando ela recebeu aquele telefonema estava gravida de sete meses, então passou mal e o parto de Alycia foi feito de emergência. - Eu estava horrorizado com aquela situação. - Ela ficou por um mês internada e então teve alta. Alycia tem alguns problemas respiratórios por causa disso.
- Caramba, e foi ai que esse imbecil entrou na vida de vocês? - Eu perguntei realmente interessado na historia.
- Sim, Sophia estava muito frágil, precisava de alguém. Eu insisti e eles começaram a ficar. - Ela me pareceu meio triste. - Por isso me desculpa. Assim como ela, eu não acreditava que iriamos ver você novamente.
- Tudo bem. Agora é resolver as coisas, porque do jeito que está, não pode ficar.

-------------------------------------------
Gente, se quiserem bônus é só comentar ai que mais tarde tem!

17 comentários:

  1. Que Somic se resolva logo ❤ posta bonussss

    ResponderExcluir
  2. Continua to amando😍😍,posta o bônus

    ResponderExcluir
  3. Lari ,já pode ajudar micael com sophia hahaha

    ResponderExcluir
  4. Acho que agora as coisas podem tomar um rumo melhor

    ResponderExcluir
  5. que bom q larissa contou tudo, agora é torcer pra se acertarem <3 bonusss

    ResponderExcluir
  6. Camilaaaaaaaaaaaaa
    Eu quero briga da Sophia e do Diego

    ResponderExcluir
  7. Continuaa,queremos bônus.

    ResponderExcluir
  8. Esse capítulo foi boa por que ele descobriu coisas que ele não sabia,mais ta na hora deles tem um pouco de felicidades

    ResponderExcluir