Reviravolta - Capitulo 56

E assim se passaram alguns dias, ele vinha brincava com Alycia e ia embora eu nem sequer ficava perto. Diego também vinha ver ela, bolamos um esquema de dias para eles não se encontrarem aqui. O estranho era que toda vez que Diego vinha, Larissa estava junto. Talvez fosse só coisa da minha cabeça.

Micael e Alycia se davam super bem, nós ainda não tínhamos contado a ela a verdade, e estava bom assim, ele a estava conquistando. O aniversario dela estava em cima já, e tínhamos decidido pela Frozen mesmo. Casamento do Micael também estava perto, obviamente. Alycia seria dama de honra, ela estava toda feliz, na verdade era seria florista, por opção dela, afinal ela adora flores.
Meu pai tinha parado de me encher, mas isso não foi de imediato, foi só quando ele percebeu que eu realmente tinha me afastado do Micael e que ele ia se casar de verdade com aquela feiosa. Tá ok, ela não e feia, mas eu tenho direito de chamar assim. Eles tinham adiado a data do casamento pra o sábado seguinte ao da festa, porque eu bati o pé e disse que não mudaria a data da festa porque eu tinha dito primeiro. Eu sei, foi infantil, pelo menos consegui que adiassem por mais um tempo, mesmo que não adiantasse nada.
Micael agora tinha começado sua empresa, é... Muita coisa mudou em um mês e pouco. Eu não sabia muito da empresa dele, só sabia que existia, como eu disse, nós não conversamos mais.
Naquela tarde eu estava arrumando Alycia pra passar uma tarde com Micael, ele disse que queria leva-la ao parque. Ela estava com um vestido de bolinha rodado, seus cachinhos estavam soltos e eu coloquei um arco combinando com o vestidinho, calcei uma sapatinha preta e ela olhou pra mim empolgada.
- Mamãe, por que você não vai? - Perguntou meio chateada.
- Porque esse é o presente do Micael pra você, eu não tenho nada a ver. - Expliquei pela milesima vez.
- Mas você é minha mãe, tem tudo a ver. - Retrucou enquanto estava parada em frente ao espelho mexendo no arquinho, essa menina era terrivelmente vaidosa, não sei de quem puxou. Pensei ironicamente.
- Você vai com o Mica e eu acho que a noiva dele vai também. - Falei suspirando fundo - Não faz sentido eu estar lá.
- Ele podia deixar aquela mulher lá em casa e você ir no lugar dela - Riu sapeca e eu neguei com a cabeça. - Ela é chata demais, mamãe.
- Eu sei disso, mas não diga isso a ela. - Tentei ensinar, mas eu mesma tinha vontade de dizer isso a ela, na verdade, não isso, algumas outras coisinhas também. Mulher insuportavel.
- Já disse. - Olhou pra baixo culpada e me fez rir, na hora eu tive que prender o riso.
- Você o quê, menina? - Peguei ela no colo e sentei na cama. - O que ela respondeu?
- Ah foi quando ficamos sozinhas no ensaio, ela é estranha mamãe, ela me trata diferente na frente do Mica. Ai eu chamei ela de chata, ela não me respondeu, só saiu. - Ela deu de ombros. Eu fiquei olhando ela e percebi que minha filha tinha dez anos e não quase cinco. Era esperta demais, isso me assustava as vezes.
- Ela não te machucou né? - Ela negou com a cabeça.
- Se ela fizer isso de novo, conta pro Micael, mas na hora que acontecer. - Ela dessa vez assentiu e então me abraçou. - Filha, senão quiser ir, não precisa. - Ela me largou.
- Eu gosto de parque, só queria você lá. - Falou chorosa.
- Na proxima eu vou tabom? - Prometi e vi um sorrisinho aparecendo. - Vamos deixar o Micael te dar o presente dele.
- Tudo bem então. - Ela assentiu de novo. E então ouvimos uma buzina, logo meu celular começou a tocar.
- Olha, ele chegou, vamos? - Levantei e a coloquei no chão, ela correu para o espelho e ajeitou o vestido, eu tive que rir. Quando acabou veio para o meu lado e segurou a minha mão, nós descemos a escada e encontramos meus pais na sala. Alycia deu um beijo em cada um e então voltou a me dar a mão e nós saimos. Encontrei Micael e Manu fora do carro nos esperando, cheguei perto e vi aquela mulher prender a respiração, eu a olhei com desdem.
- Oi Mica! - Alycia correu para abraçá-lo.
- Mais que princesa mais linda! - Ela sorriu, adorava elogios. - Dá oi pra Manu também.
- Oi - Disse seca e eu dei um sorrisinho, Micael revirou os olhos e Manu deu de ombros.
- Entra no carro, vou falar com sua mãe antes de ir. - Ela assentiu e ele colocou ela na cadeirinha atrás.
- Cuidado com a minha filha. - Falei e levantei a sobrancelha.
- Claro que vou ter cuidado, é minha também. - Disse como se fosse obvio e eu revirei os olhos. - Eu queria te pedir um favor.
- O que quer? - Falei fria.
- Não faça a cabeça da menina contra a Manu. - Ele segurou a mão da menina, que sorriu. Eu gargalhei,
- Você acha que precisa? - Falei pra ele, mas olhava aquela mulher cínica.
- Manu me contou que Alycia chamou ela de chata. - Ele começou a falar, mas tive que interromper.
- Talvez seja porque ela é, crianças são sinceras Micael. E eu já disse, você é um besta que não enxerga um palmo diante do seu nariz. - Falei e aquela mulher deu um passo a frente.
- O que está insinuando? - Falou me encarando até parece que eu teria medo.
- Isso que você entendeu, que você é uma mentirosa e ele um idiota. - Ela não esperava a minha resposta.
- Sophia para com isso. - Micael puxou a noiva pra trás. - Não torna as coias mais difíceis. - Sua expressão parecia de dor.
- Como você acha que ela teve dinheiro pra bancar esse casamento de luxo que vocês vão ter? - Levantei a sobrancelha pra ele, mais uma vez a mulher se antecipou.
- Acho que nossa vida financeira não importa. - Falou séria.
- Um tio dela morreu, deixou a herança só pra ela. - Ele falou devagar, como se repensasse naquilo.
- Você é um imbecil! - Falei e virei as costas. - Quero minha filha aqui antes das nove. - Entrei sem virar pra trás e pude ouvir quando a porta do carro bateu e o motor ganhou aceleração.

3 comentários: