Reviravolta - Capitulo 25

- Mãe, leva a Alycia pra cozinha de novo por favor? – Falei e ela assentiu.
- Não mamãe, quero ficar aqui. – Olhou com cara de choro.
- Filha, a mamãe vai conversar com o papai dela. Depois eu vou lá atrás de vocês. – Tentei explicar.
- Ele tem cara de mau – Ela falou baixinho e me fez rir.

- Ele é só um pouquinho, mas a mamãe já conhece bem! –Ela assentiu e deu a mão pra minha mãe. As duas saíram sem falar mais nada e eu fiquei admirando.
- Ela é tão esperta. – Meu pai disse e me tirou dos pensamentos.
- Sim, ela é. As vezes fala e faz coisas que nem parecer ter quatro anos. – Dei de ombros.
- Deu pra perceber. Agora explicar, por que voltou do nada? – Sua expressão era indrecifravel.
- Achou que eu ficaria lá para sempre? – Era fria e seca com ele.
- Não Sophia, só que toda vez que eu queria trazer você pra cá, ao menos pra passar as férias você nunca queria vir. – Deu de ombros.
- Eu tinha medo do que você poderia fazer contra a minha filha. – Disse olhando em seus olhos.
- Sophia eu não sou um monstro. – Parecia indignado.
- Você é. – Continuei olhando séria.
- Sophia, quem é o pai dessa menina? – Ele colocou a mão na testa.
- Adivinha? – Rolei os olhos.
- Eu não acredito que você teve um filho daquele marginal – Ele gritou.
- Ele não era um marginal! – Gritei de volta.
- Você é uma irresponsável. – Ele falou mais baixo, depois de respirar fundo.
- É minha filha também. E graças a você, Micael nem sabe que tem uma filha. E nunca vai saber, por que eu nunca vou encontrar ele outra vez. – falei rude.
- Sorte a sua. Ou ia acabar roubando celular por ai também. – Ironizou.
- O Micael é um homem inteligente que tinha capacidade pra fazer o que quisesse. – Sorri em deboche – Hoje em dia ele deve ser alguém importante.
- Hoje em dia ele deve ter evoluído de celular para carros. – Rolou os olhos e eu bufei em resposta.
- Não sei pra que estamos discutindo. – Dei de ombros – Sua neta está ai, firme e forte, eu estou formada e você não deve nem saber se o Micael está ou não vivo. Pra que essa briga?
- Porque você teve minha neta sem a minha autorização. – Se alterou outra vez.
- Sim, e sei que o senhor vai ser o maior puxa saco dela. – Sorri – Você é durão, mas todos se apaixonam pela Alycia.
- Vai ficar aqui em casa? – No fundo eu sabia que a pergunta era por causa da Alycia.
- Vou pai, a não ser que não queira, ai eu saio. – Dei de ombros.
- Não, fica aqui. Eu te amo garota, tava com saudades de você. – Se aproximou e me abraçou. – Eu só fiz o que acreditei ser o certo.
- Mas não foi pai. – E continuamos abraçados.
- Se prepara, a noite tem um jantar aqui em casa. – Ele sorriu.
- Ah esses jantares são super chatos. – Reclamei.
- É pra comemorar que conseguimos tirar a empresa do buraco. – Falou radiante.
- e ela tava lá? – Eu nem sabia, fiquei surpresa.
- O contador estava desviando dinheiro, aquele miserável. Quase falimos. – Sua cara de horror era notável. – Mas graças a Deus e a um estagiário que obviamente foi promovido nós conseguimos sair daquele buraco maldito. Ai, eu o convidei com sua noiva pra vir jantar aqui.
- Nossa, eu nem sabia que nada disso. Tudo bem né, como não tenho escolha.
- Mamãe, quero ficar aqui! – Alycia veio ate mim de novo – Já ficou chato ficar lá.
- Eu tentei Filha, mas sua filha é terrível. – Ela rolou os olhos e riu.
- Vem amorzinho. – Peguei ela no colo. – Fala oi pro vovô agora.
- Vovô? – Questionou, e depois sorriu.  – Ele não é mau?
- Não filha, ele gosta de você. – Ela olhou meu pai sorrindo e sorriu de volta. Uma das coisas boas de ser criança, é que é muito inocente e essa também é a pior coisa de ser criança.
- Oi vovô. – Falou tímida e escondeu o rosto no meu ombro.
- Oi Alycia. – Ele respondeu. Meu pai era muito severo em alguns aspectos, mas ele adorava crianças. O que era meio contraditório.
- Vamos tomar banho porquinha? – Dei um beijo em seu pescoço.
- Ah não mamãe. – Resmungou.
- Vamos logo, dona moça! – Subi com ela no colo e fui dar banho.

O dia não demorou a passar. Meus pais tinham amado minha filha e isso me deixava muito feliz, não sei porque tive tanto medo de voltar. Alycia também tinha amado eles pra minha surpresa estava louca pelo meu pai, aiai que mundo louco. Sete e meia da noite eu dei janta a ela e coloquei na cama para dormir, logo depois fui me arrumar. Vesti um vestido preto básico e fiz uma make bem leve, não sabia o que esperar desse jantar, apesar do meu pai ter dito que não seria nada informal.

Eu estava ajudando minha mãe a colocar a minha mãe a colocar a mesa enquanto a empregada fazia a comida, a campainha tocou e então meu pai foi atender, voltou conversando com algumas pessoas. Eu estava na cozinha com pegando alguns pratos, minha mãe já estava lá e quando eu cheguei e vi de quem se tratava, deixei todos os pratos que estava na minha mão cair, fazendo o maior barulho.

9 comentários:

  1. Posta mais por favor,não fica tanto tempo sem postar,sei que é difícil pra você, mas to louca pra saber a reação do mika quando ver a sophia

    ResponderExcluir
  2. Já até sei quem é!!!! MAISSSSSSS preciso de mais kkk

    ResponderExcluir
  3. Será que o pai da Soph não aprende nunca ?? Sophia ta com a vida uma bagunça e nem sabe ainda

    ResponderExcluir
  4. Posta mais , desespero pelo próximo capitulo define

    ResponderExcluir