Reviravolta - Capítulo 29

Micael se afastou de mim rápido assim que ouvimos alguém pigarreando. Olhamos para baixo completamente envergonhados e só ouvimos a voz da minha mãe reclamando.


- O que foi isso aqui? – Ela falou baixo se aproximando da gente, sua cara não era umas das melhores. – Acho que vocês podiam esperar um pouco antes de querer relembrar o passado e matar a saudade!
- Ninguém estava com saudade de nada aqui mãe. – Falei rápido sem olhar em seus olhos.
- Deu pra perceber na hora que eu cheguei. – Rolou os olhos e riu de leve. Eu provavelmente estava com o rosto muito vermelho.
- Dona Branca, eu peço desculpa por isso, é melhor eu me retirar. – Ele começou a sair mais ao tentar passar por minha mãe ela segurou o seu braço.
- Eu acho que você deveria ao menos respeitar a sua noiva que está La na sala. É o mínimo. – Disse friamente, ele assentiu e saiu em direção á sala. – E você, dona Sophia, tem que se dar o respeito, afinal de contas você tem um namorado.
-Mãe, aconteceu, eu não queria. – Respondi sem conseguir olhar para ela.
- Você não queria? – Me perguntou sarcasticamente. – vou fingir que acredito em você, Sophia, Melhor você ir ver como esta sua filha, e só voltar quando os nossos visitantes irem embora.
- Agora você quer que eu me esconda. – A encarei e pude sentir a raiva dentro de mim.
- Não, quero evitar uma possível cena desconfortável. – ela me respondeu rapidamente. – Eu digo que você estava se sentindo indisposta.
- Ele é o pai dela, se não estou com ele é por culpa sua e do meu pai que cismam de querer controlar minha vida. – A raiva estava explícita na minha voz, e meus olhos ardiam eu estava preste a chorar. - Se vocês não tivessem se metido minha vida seria muito melhor.
- Se não tivéssemos interferido hoje em dia você não teria se formado, você estaria vivendo na miséria, e essa criança, nem sei o que seria dela.  Minha filha aprenda amor não enche barriga!

 A encarei abismada e não sabia o que falar, as lagrimas escoriam e eu não conseguia disfarça, minha mãe ria de leve e eu não agüentei sai correndo daquele lugar para ir para o quarto, abraçar minha filha, passei pela a sala onde todos estavam sem conseguir encarar ninguém, subi as escadas correndo e quando cheguei tive a sorte de Alycia ainda estar dormindo. Não queria que ela me visse desse jeito, provavelmente ela iria me encher de perguntas, e eu não saberia responder, deitei ao seu lado e abracei, ela era tão linda, fiquei enrolando uns dos seus pequenos cachos em meu dedo, dei um beijo em sua testa. Meu celular tocou, peguei rapidamente antes que acordasse a pequena, ao olhar para tela era o Diego, eu não sabia o que falar, iria mentir para ele? Desliguei a ligação, respirei fundo, enxuguei as lagrimas e retornei a ligação.

-Meu Bem, só liguei para dizer que cheguei bem, e queria saber como você e minha princesa estão? – Senti um pouco de preocupação em sua voz.
- Estamos bem amor. Agora ela está dormindo aqui comigo. – Respondi de imediato, mas não consegui sustentar a voz e ela falhou.
- Sophia, você esteve chorando? – Aquele pouco de preocupação, agora se tornou muito.
- Por que você tinha que me conhecer tão bem, Diego? – Ele apenas riu e não me respondeu. – Tive uma breve discussão com a minha mãe agora a pouco. – Suspirei e limpei umas lagrima insistentes do meu rosto.
- Princesa, não fica assim. – Tentou me ajudar – Quando eu sai daí vocês estavam tão bem... O que aconteceu? – Perguntou curioso, mas eu sabia que no fundo ele só queria me ajudar.
- Meu pai chegou com uns convidados aqui pra jantar, ai deu a maior confusão. – Não especifiquei, não era o momento.
- Que convidados? E por que teve discussão? – Dava para sentir a curiosidade na sua voz, não conseguia falar o silêncio reinou na ligação. – Sophia, me responda!

6 comentários: