Nova Chance - Capitulo 107

Soph: Bom eu vou embora, tenho que ir pra minha casa.
Antônia: Mas já? Eu adoro sua companhia.
Soph: Aiin sogra perfeita eu tenho.

Antônia: Boba. Tá roubando meu filho, mas eu prefiro ele com você do que por ai.
Soph: Obrigada pela preferencia...
Ela ri.
Antônia: Volta mais tarde?
Soph: Olha não combinei nada com ele.
Antônia: Entendo. Enfim, se der vem jantar com a gente.
Soph: Pode deixar... Agora deixa eu ir que o meu pai agora vive sozinho.
Antônia: Tudo bem. Ah, mais uma pergunta. Com quem você vai entrar na igreja?
Soph: Com o Antônio!
Antônia: Vai chatear o Renato...
Soph: Tem que ser um dos dois...
Antônia: Depois a gente da um jeito.
Soph: Ok então, beijo Antônia fui.
E então ela sai e vai para um ponto de ônibus. Ele demora um pouco vir, mas logo ela esta em casa. Ao entrar ela se espanta com o silêncio. Geralmente as 8hrs seu pai já estava acordado, ela demorou tanto desde que acordou até chegar lá que já passava das oito da manhã.
Ela caminhou até a cozinha e lá estava seu pai, preparando uma bandeja para dois, cantando e dançando pelo espaço que tinha na cozinha. Ele parou assustado ao perceber a presenta dela ali o olhando com um sorriso no rosto.
Soph: Quem te viu quem te vê heim senhor Antônio.
Antônio: O que você tá fazendo aqui.
Soph: Que eu me lembre ainda sou sua filha, ainda moro aqui e ainda tenho a chave.
Antônio:: Mas você passa dias sem vir aqui.
Soph: Com quem o senhor está?
Antônio: Sem chance de eu te falar
Soph: Ah fala pai!
Antônio: Não Sophia, credo.
Soph: O senhor não está com nenhuma das meninas está?
Antônio: SOPHIA!!!
Soph: Desculpa, foi o que eu pensei.
Antônio: Eu não levaria uma bandeja de café da manhã se tivesse uma prostituta no meu quarto.
Soph: Não fala assim!
Antônio: Desculpa!
Soph: Só se o senhor me dizer quem está lá em cima.
Antônio: Eu agora estou começando um novo negocio.
Soph: E o ponto?
Antônio: Eu vendi. Não quero mais fazer isso!
Soph sorriu.
Soph: Eu pensei que o senhor gostasse.
Antônio: Sophia francamente. Era só dinheiro facil né minha filha.
Soph: É eu sei...
Antônio: Eu vendi e agora estou em fase de compra de um mercado. Não é grande, mas não é exatamente pequeno.
Soph: Ai pai que otimo.
Ela corre para abraçar ele.
Antônio: Obrigado filha.
Soph: Agora me conta quem é a mulher que está la em cima que fez até o senhor tirar a barba.
Antônio: O nome dela é Maria. Ela é a antiga dona da rede que eu estou comprando. Era do antigo casamento. Ficou pra ela a rede e o marido levou o resto.
Soph: Gente mais acabou de separar e já ta na sua cama?
Antônio: Sophia! Ela já ta separada a mais de um ano, só agora que resolveu vender a rede.
Soph: Deve ser uma pessoa bacana. Tão ficando?
Antônio: Estamos juntos a um tempo?
Soph: Ah e quando eu saberia disso?
Antônio: Quando você parasse de ir atras de Micael e sossegasse em casa.
Soph: Essa doeu.
Antônio: Besta. Agora eu vou subir com isso. Se você estiver aqui quando eu descer, te apresento ela.
Soph: Ok, né. Agora vou pra minha cama.
Antônio: Uma hora dessa?
Soph: Não tenho nada melhor pra fazer papai lindo.
Antônio: Bem que você podia fazer o almoço.
Soph: Eu só acho que o senhor tá me explorando!
Ela olha debochada.
Antônio: nossa que filha é essa que eu tenho.
Soph: Tá pai chato, mais tarde eu começo a fazer.
E então ele pega a bandeja e sobe. Ela se joga ali mesmo no sofá e manda uma mensagem via Whats para o noivo.
* É tão chato sem você aqui*

* Daqui a pouco, tô chegando*

*Não vejo a hora! O que vamos fazer?*

* Almoçar fora?*

* Não amor, meu pai tá namorando, quer que eu faça o almoço pra eles, vem pra cá quando chegar, almoçar com a gente?!*

* Não vai ser um almoço de familia?*

*E você não é da familia?*

*Ok, eu vou, agora eu tenho que trabalhar, te amo minha linda*

*Tá, eu tambem te amo, amor!*

Ela então ligou a televisão zapeou por alguns canais mais acabou pegando no sono e deixando em algum canal aleatorio.

6 comentários: